POLITICA

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu, através do voto da maioria, negar

TSE nega pedido para que emissoras cubram campanha de Lula

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu, através do voto da maioria, negar nesta terça-feira (28) uma petição feita por advogados do Partido dos Trabalhadores (PT) para que as emissoras de televisão cubram a agenda de campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que vem sendo liderada pelo candidato a vice, Fernando Haddad.

Todos os outros candidatos bem posicionados nas pesquisas têm contado com cobertura diária de suas agendas de campanha, mas, de acordo com a Revista Fórum, as emissoras estariam “escondendo” a agenda da coligação que está em primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto.

Foram seis votos contra a petição e apenas um a favor.

No recurso, os advogados do PT argumentaram que lei eleitoral exige isonomia e veda que qualquer candidato tenha tratamento privilegiado nas estações de rádio e TV.

“Requer-se, na presente representação, a concessão de liminar, para que seja ordenado às empresas representadas para, a partir da presente data, confiram a devida cobertura da campanha presidencial da coligação O Povo Feliz de Novo, por meio de sua agenda oficial, e do próprio candidato Lula, devendo ser conferido tratamento isonômico entre as atividades destes e as dos outros candidatos ao mesmo cargo, com inserções em mesmo horário e com a mesma duração”, diz a petição.

O colegiado, no entanto, entendeu que as emissoras não estão descumprindo a lei ao ignorar a campanha de Lula. Segundo o ministro Sergio Banhos, “circunstâncias pessoais” impedem a cobertura jornalística da campanha do ex-presidente e, pelo fato de Lula estar preso, “não há agenda a ser divulgada”.

 

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *